Riscos na operação de veículos e como ter mais segurança na frota
21 de dezembro, 2022 2307
Segurança
Artigo Artigo

Riscos na operação de veículos e como ter mais segurança na frota

Quando falamos em segurança da frota, pensamos diretamente nas viagens e deslocamentos realizados com veículos. Os acidentes de trânsito são um dos grandes riscos existentes, mas não são os únicos.

Há outros fatores que podem comprometer a segurança dos colaboradores de uma frota. Por exemplo, a falta de manutenção nos veículos. Embora resultem em prováveis acidentes, a causa deste está no início do processo, não na rota em si.

Por isso, você precisa conhecer os principais riscos e como promover mais segurança na frota. Afinal, é um dos papéis do gestor ter essa consciência e iniciativa.

Os riscos à segurança da frota

Rotas perigosas

A rota pode se tornar perigosa tanto pelas condições da estrada quanto pela possibilidade de haver roubos de veículos ou de cargas valiosas no caminho. Caminhões que transportam celulares e notebooks, por exemplo, possuem maior risco que um veículo que transporta grãos.

Da mesma maneira, os carros de maior valor que uma frota pode ter são alvos mais fáceis.

Falta de manutenção preventiva

A prevenção é quando inspeções são realizadas a fim de identificar possíveis falhas ou desgastes para serem corrigidos antes de um problema maior acontecer, como o mau funcionamento do veículo ou uma quebra no meio do caminho.

Além disso, a manutenção preventiva permite fazer o planejamento de serviços como o balanceamento de rodas, rodízio de pneus, troca de óleo e filtros, e assim por diante. Todo e qualquer serviço que tenha a intenção de manter o veículo em boas condições de rodagem e aumente a sua durabilidade se encaixa na rotina preventiva.

Ou seja, deixar de realizar essas inspeções e serviços provoca mais acidentes e perda de veículos. No mínimo, manda mais veículos para a oficina e aumenta os gastos da sua operação, desnecessariamente.

Condução inapropriada

Saber como os motoristas dirigem um veículo é essencial para tomar as medidas necessárias.

Quando os veículos quebram com muita frequência, os pneus sofrem desgaste acelerado ou o consumo de combustível está excessivo, são indicativos de que os condutores não estão tendo uma boa conduta ao volante.

Além de gerar prejuízos materiais à frota, também coloca em risco a vida dos motoristas e viajantes.

Falta de descanso

Não descansar quando está em rotas longas é bastante arriscado. Por lei, um motorista de caminhão deve descansar, pelo menos, 30 minutos a cada 5h viajando. Enquanto isso, um motorista de ônibus precisa parar por 30 minutos a cada 4h. 

Essa regra, mesmo não prevista na legislação, também deve ser aplicada para quem se desloca com carros e motos. O cansaço também acontece nesses condutores e precisa ser considerado nos planejamentos das operações de transporte.

Falta de planejamento de prazos

Quando um prazo é muito apertado, os motoristas têm o instinto de dirigir em alta velocidade. E, claro, isso aumenta as chances de um acidente acontecer e gerar prejuízos materiais, financeiros e pessoais na sua empresa.

O papel do gestor de frota na segurança da frota

Você percebeu que, boa parte dos riscos descritos tem a ver com o planejamento do gestor da frota? As rotas, prazos e rotina de manutenção preventiva são todas responsabilidades suas.

Portanto, o seu papel, antes de mais nada, é ter organização e planejar com antecedência.

Fazer a gestão de riscos

Para começar, entenda o que é e como fazer uma gestão de riscos na sua frota

Basicamente, trata-se de um setor das empresas que prevê planos de ação e proteção para todo e qualquer risco que possam ter. Quando possuir frotas, o gestor destas é quem deve tomar a frente no rastreamento de riscos e soluções para cada um, caso sejam enfrentados.

São planos que podem tanto estar descritos em um documento próprio para isto ou dentro da política de frotas da operação.

Realizar a roteirização e rastreamento

Planejar com antecedência e ter ferramentas modernas para auxiliar nesse momento é crucial. É preciso entender quais são todos os caminhos possíveis para uma viagem ou deslocamento.

Assim, você consegue buscar não apenas o caminho mais curto, mas também o que apresenta menores riscos.

Além disso, também pode otimizar as rotas da empresa buscando estradas com o menor número de semáforos e curvas possíveis, evitando as frenagens e acelerações constantes, que aumentam o desgaste de pneus e consumo de combustível.

Para aumentar o  controle de rotas planejadas x rotas realizadas, um sistema de rastreamento é a escolha ideal. 

Existem diversas soluções para isto hoje e você consegue escolher uma que seja mais adequada às suas necessidades, seja com base na quantidade de placas da operação ou funcionalidades para a rotina.

Promover treinamentos aos motoristas

É importante ter um contato próximo aos motoristas, promovendo rodas de conversas, palestras e imersões em treinamentos específicos de condução e situações no trânsito. 

Além de conseguir educá-los das melhores práticas de direção e como agir em determinados momentos, você também cria uma visualização melhor para saber como gerar sistemas de bonificação e ranking de motoristas.

Essa é uma prática bem interessante para incentivar a colaboração e engajamento dos seus funcionários na frota.

Como resultado, suas ações na gestão de frotas e motoristas gera o aumento da segurança da frota, promovendo viagens e deslocamentos rotineiros mais tranquilos.

Conhecer e cumprir a legislação de controle de jornada

Saber a legislação de trânsito para frotas é essencial, certo? Sem conhecimento das leis e multas, é provável que você acabe com custos excessivos e uma baixa produtividade. Além de “sujar” a imagem da empresa.

Comece entendendo quais são as principais leis que se aplicam à sua operação, pois elas podem diferir entre frotas de veículos pesados e leves, por exemplo.

Em se tratando de aumentar a segurança da frota e tendo como um dos riscos o cansaço dos motoristas, você deve dar uma atenção especial à lei do motorista. Nela, estão descritas todas as funções e responsabilidades tanto do motorista, quanto daquele que o contrata, nesse caso, o gestor de frotas.

Para auxiliar no controle de jornada dos motoristas, e evitar fadiga e consequências maiores, aproveite das tecnologias disponíveis para essa função. Os próprios sistemas de roteirização indicam qual o tempo médio previsto da viagem e você pode planejar as paradas necessárias em cada rota. 

Para registrar todas essas informações e condutas apropriadas, a política de frotas é a solução ideal. E é algo que oferecemos gratuitamente aqui pelo portal da MaxiFrota. 

Faça o download agora mesmo e comece a otimizar a sua gestão de frotas.