O que os indicadores de manutenção revelam sobre a sua frota
25 de julho, 2023 1591
Gestão de Manutenção de Frotas
Artigo Artigo

O que os indicadores de manutenção podem revelar sobre a sua frota

Os indicadores de manutenção de uma frota são fundamentais para entender como estão os processos da sua gestão e o que pode ser melhorado.

Assim como qualquer outro indicador de desempenho, é preciso ter uma rotina de acompanhamento das atividades e levantamento de dados que alimentem essas métricas. Caso contrário, não é possível analisar e tomar decisões embasadas.

O que são indicadores de manutenção?

Os indicadores de manutenção são ferramentas que visam melhorar o desempenho da frota. São indicadores de desempenho exclusivos para o setor de manutenção de uma empresa, seja na indústria ou no transporte.

Eles servem para medir os resultados das manutenções da frota e dar ao gestor informações necessárias e suficientes para uma tomada de decisão melhor e mais efetiva.

Quais são os principais indicadores de manutenção?

Distribuição por tipos de manutenção

Esse indicador gera uma comparação entre os valores direcionados para os diferentes tipos de manutenção que estão acontecendo na frota para identificar se está dentro do planejado ou não. 

Ou seja, é uma excelente visualização para identificar se a sua frota tem uma gestão de manutenção eficiente.

Um divisão de orçamento considerada boa é: 

  • 15% para correção;
  • De 30 a 40% na prevenção;
  • De 40 a 50% na preditiva.

Número de manutenções por veículo

Se o veículo passa por manutenções com muita frequência, é um indicativo que está na hora de renovar a frota. Além disso, identificar quantas manutenções um veículo passou ao longo de um determinado tempo pode embasar a decisão de qual modelo adquirir.

Porém, lembre-se de avaliar também o tempo de uso desde a aquisição e a quilometragem rodada até chegar nesse estágio de troca.

MTBF: tempo médio entre falhas

O tempo médio entre falhas é um cálculo realizado para identificar qual o tempo médio que um veículo roda até apresentar uma falha. Ou seja, ele deve ser aplicado individualmente, para cada placa da operação.

Também contribui para um outro indicador, que é o de confiabilidade do veículo, isto é, o quanto um veículo é confiável até dar indícios de falhas.

Quanto maior o resultado dessa conta, melhor, pois significa que o veículo consegue rodar mais tempo sem a necessidade de uma manutenção corretiva. De maneira geral, quanto mais horas entre falhas, menos manutenções necessárias.

Para as frotas que já aderiram à manutenção preditiva, as previsões e antecipação de serviços é realizada pelas tecnologias desse tipo de manutenção. Portanto, não existe uma grande necessidade de calcular “na mão” esse indicador.

MTTR: tempo médio para reparo

O tempo médio para reparo mostra quanto tempo uma falha leva para ser consertada e pode indicar o nível de produtividade da sua equipe. Apesar disso, não se deve estabelecer um parâmetro de comparação ou valor ideal para esse indicador.

Ainda assim, quanto menor o resultado, melhor para a sua operação. O cálculo é realizado somando a quantidade de horas utilizadas no reparo dividido pela quantidade de falhas no período analisado.

Pode também contribuir para entender melhor a disponibilidade dos veículos, pois quanto maior o resultado do MTTR, menos os veículos ficam à disposição para utilização.

Disponibilidade e Confiabilidade

Ambos indicadores de manutenção foram mencionados acima, pois são, respectivamente, determinados pelo MTBF e MTTR. Veja melhor o que é cada um:

  • A disponibilidade mostra o tempo que o veículo esteve disponível para ser utilizado e realizar suas rotas.
  • A confiabilidade é a probabilidade que o veículo tem de desempenhar sua função conforme esperado e sem apresentar falhas.

Nesses cálculos, é sempre necessário considerar um determinado período de tempo e os resultados são em percentuais.

Para exemplificar, se a disponibilidade de um veículo é de 98, significa que 98% do tempo dele na frota é com ele pronto para ligar e fazer o seu trabalho. Já se a confiabilidade é de 98%, significa que de 100 vezes, ele funcionará sem problemas em 98 delas.

Backlog

O backlog é um indicador que auxilia na visualização da capacidade da sua equipe de manutenção, caso ela seja internalizada na frota. Essa expressão se traduz para “atraso” ou “acúmulo” e reúne todas as atividades e serviços da frota — desde aquilo que é uma demanda rotineira até os serviços urgentes e/ou atrasos.

Um dos motivos para utilizar esse KPI  de manutenção é para entender quando está na hora de realizar novas contratações ou realizar terceirizações a fim de evitar a perda de qualidade dos serviços.

Também é o melhor indicador para entender se há pessoal ocioso na operação, devido à baixa demanda de serviços de manutenção corretiva.

CMF: Custo de manutenção sobre faturamento

Para o gestor que deve estar sempre atualizado e apresentando resultados à diretoria da empresa, o CMF é indispensável. O indicador mostra e compara o valor de faturamento da empresa em relação aos custos de manutenção da frota.

É importante notar que cada segmento do mercado tem uma média diferente para esse indicador e você deve identificar o valor adequado para o seu negócio. Uma empresa de logística, por exemplo, tem uma média de Custo de Manutenção sobre Faturamento de 6%.

Se estiver por volta dessa média, está com um bom CMF, se estiver acima, precisa de melhorias rapidamente. O melhor cenário é estar abaixo, indicando que a sua gestão realmente é eficiente.

CPMV: custo de manutenção sobre valor de reposição

O CPMV é um indicador para a renovação da frota, sendo o responsável por calcular o quanto o valor de manutenção de um veículo representa do seu valor de aquisição. Isso significa que, se um veículo custou R$100.000, e a sua manutenção ao longo do ano teve um total de R$8.000, o seu CPMV é de 8%.

Para entender se isso é uma taxa boa ou inadequada, é preciso descobrir as médias para cada tipo de veículo da frota. Por exemplo, os caminhões possuem uma média considerada razoável de 5% ao ano. 

Independente dos resultados, a melhor maneira de ter um bom CPMV é evitar as manutenções corretivas da frota e inspecionar os veículos para evitar sua depreciação acelerada.

Por que os indicadores de manutenção são importantes?

A gestão de frotas, atualmente, está se direcionando para um modelo de gestão analítica, tendo todas as decisões e processos determinados pela avaliação da realidade cotidiana da empresa.

Para que isso seja possível, os dados são fundamentais, assim como as métricas — determinadas pelos indicadores de manutenção, nesse caso.

Não há dúvidas de que eles darão todas as respostas que você precisa com agilidade e eficiência. Além do mais, são essenciais para uma garantia de qualidade no controle de frotas.

Como controlar os indicadores de manutenção?

Há duas maneiras de controlar e utilizar os indicadores de manutenção na frota: manualmente ou através de tecnologias. Apesar de serem bem diferentes entre si, ambos precisam de algo indispensável: a coleta de dados.

Quando optar por realizar isso de forma manual, outras ferramentas são necessárias, como listas de papel e planilhas de controle.

No caso do uso de tecnologias, essa etapa operacional é facilitada, pois diversos processos e atividades se tornam digitalizados e/ou automatizados. Inclusive, você pode conhecer um sistema de gestão de manutenção prático e ágil, que disponibiliza um dashboard completo com gráficos e tabelas para você controlar melhor a sua frota.

Confira agora e agende uma conversa com um de nossos especialistas MaxiFrota.